sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Haiku CVII

Que pressuroso este vento
que vence atempadamente
a corrida ao tempo!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Haiku CVI

A mão do velho
abre-se lentamente -
eis a mosca morta!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Haiku CV

Uma cáfila marroquina
espera a noite
no gelo islandês

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Haiku CIV

O caracol indeciso
rasteja pelo chão -
tanto por onde escolher

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Haiku CIII

O agapanto
olha a pedra
de soslaio

terça-feira, 9 de junho de 2009

Haiku CII

Cai a porta,
um estrondo violento -
fugiu minha sombra

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Haiku CI

Tantos céspedes.
O vento
revolta seu mundo

sábado, 30 de maio de 2009

Haiku C

Carregas a morte
na mão -
um boneco ridente

sábado, 23 de maio de 2009

Haiku XCIX

Teu espírito
levita-se;
és toda a gravidade!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Haiku XCVIII

Ramos de um abeto -
um pequeno pardal
treina parkour

terça-feira, 12 de maio de 2009

Haiku XCVII

Eis
o dentro
do pêssego

domingo, 3 de maio de 2009

Haiku XCVI

Estás só -
a janela abre-se
sozinha

Haiku XCV

Cais da inquietude -
o marinheiro
fechado no sonho

terça-feira, 28 de abril de 2009

Haiku XCIV

O horizonte
é amplo -
ou comprido?

domingo, 26 de abril de 2009

Haiku XCIII

Um homem velho
corta o seu nariz -
o nariz foge

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Haiku XCII

Céu nocturno -
Um relâmpago
escreve este haiku

Haiku XCI

És
o espaço entre
as folhas das árvores

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Haiku XC

Calas
a noite
quando adormeces

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Haiku LXXXIX

Fumas cachimbo
na noite do quarto -
sentes a minha presença

terça-feira, 7 de abril de 2009

Haiku LXXXVIII

Olhamos as folhas
ao vento -
um horizonte qualquer

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Haiku LXXXVII

Na pedra
um rio
metafísico

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Haiku LXXXVI

Caiu
levantou-se
respirou fundo

terça-feira, 24 de março de 2009

Haiku LXXXV

Do fundo do mar
emerge
um galeão espanhol

terça-feira, 17 de março de 2009

Haiku LXXXIV

Rosas aladas,
corvos sem pétalas -
o amor

quarta-feira, 11 de março de 2009

Haiku LXXXIII

Calaram-se as pedras
e os raios -
amamo-nos ainda

quarta-feira, 4 de março de 2009

Haiku LXXXII

O salto da rã
caiu-me no ombro
e ela no charco

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Haiku LXXXI

Pequeno aquário -
um peixe
atravessa o vidro

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Haiku LXXX

Um rato doente
entra no barco -
ancora com sucesso

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Haiku LXXIX

Um saco de plástico
voa
rasando o chão

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Haiku LXXVIII

Eu
e o cacto
fartos da chuva

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Haiku LXXVII

Raios de luz
no horizonte -
a utopia?

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Haiku LXXVI

Foda-se!
La naturaleza
under concrete

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Haiku LXXV

Procurei um euro
debaixo da cómoda -
barata em fuga

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Haiku LXXIV

O piso
escorregadio -
preservativo com sémen

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Haiku LXXIII

Aurora matinal -
abri a persiana,
abracei a luz

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Haiku LXXII

Passei correndo
pela estrada batida :
acordei o vento

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Haiku LXXI

A aragem
segredou-me
a minha infância

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Haiku LXX

A menina
espetou-se com a faca -
era de plástico

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Haiku LXIX

Haverá
no canto do rouxinol
maresia?