sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Haiku LXVIII

Neva em Trás-os-Montes -
os meus dedos
transparecem o sangue

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Haiku LXVII

Natal português -
À mesa
moamba de galinha

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Haiku LXVI

Bateste a porta.
Na memória
o teu seio

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Haiku LXV

Jaz, podre,
na mão da pedinte,
uma Bravo de Esmolfe

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Haiku LXIV

Quarto crescente -
Júpiter reluz
à tímida Vénus