sábado, 31 de maio de 2008

Haiku XXIV - a João Silveira

Entre os jacarandás -
raio de sol
e um velho sombrio

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Haiku XXIII

Dilúculo -
Entre as nuvens negras,
vagina azul.

Haiku XXII

Sentado no Metro -
Cego gordo
olha para o chão

terça-feira, 27 de maio de 2008

Haiku XXI

O haiku:
Momento chuvoso
em que te vi

Haiku XX

Jovem rapaz -
o vento revoluciona
o gel no teu cabelo?

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Haiku XIX

À janela do comboio
uma borboleta enxerga
a jovem lendo Sade.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Haiku XVIII

Chuvas de Maio, calçada.
Um formigueiro
envolve o pardal.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Haiku XVII

Num pinheiro vintão
mijei
debaixo do canto do pintassilgo

segunda-feira, 12 de maio de 2008

Haiku XVI

Testa duma indiana.
Procurei
mas não encontrei o tilak

terça-feira, 6 de maio de 2008

Haiku XV

Verão cinzento_
Trovão rasga
o peito da criança